Entenda como funciona o exame psicotécnico em concursos públicos

Por @agnaldobastosadvocacia | O Exame Psicotécnico é uma das fases que ocorre em alguns concursos públicos, visando selecionar pessoas com preparo psicológico para exercerem as funções em determinados cargos públicos.

Você sabe como funciona esse exame? Esta etapa está presente em quais certames? Trata-se de uma fase eliminatória ou classificatória? Como se preparar para executá-la? O que fazer se o candidato for eliminado nesta fase?

Realmente, são muitas dúvidas em torno desse teste e, ao olhar o edital, é  comum se deparar com o exame psicotécnico

Assim, surgem esses questionamentos citados acima, mas não se preocupe porque vou esclarecer aqui para você. Acompanhe!

O que é o teste psicotécnico em concursos?

O teste psicotécnico em concursos públicos, também conhecido como avaliação psicológica, tem como objetivo examinar as condições mentais dos candidatos para exercer as funções do cargo concorrido.

Ele serve para identificar as características psicológicas que revelam traços de personalidade que podem, ou não, influenciar no desempenho do profissional. Sendo assim, não é voltado para medir a inteligência do candidato.

A verificação ajuda a evitar a nomeação e posse de pessoas que, por ventura, apresentem anomalias psíquicas e podem prejudicar, de alguma forma, os órgãos públicos.

O Exame Psicotécnico é eliminatório?

Assim como a investigação social em concursos, esta fase também é considerada eliminatória, ou seja, por mais que o candidato tenha sido aprovado nas fases anteriores, ele poderá ser excluído do concurso.

Em regra, os exames psicológicos são aplicados em certames da Polícia, Forças Armadas e Corpo de Bombeiros, podendo estar presente em outros concursos também.

Como é feito o Exame Psicotécnico?

Através de uma entrevista ou testes psicológicos, o examinador irá averiguar se os candidatos estão preparados para situações que estarão presentes no dia a dia e na rotina do cargo.

Os quesitos analisados na avaliação para carreiras da área de segurança pública costuma ser:

Características imprescindíveis

Apresentação pessoal, atenção difusa, capacidade de acatar normas e regras, capacidade de adaptação, controle emocional, dedicação, discernimento, bom senso, disciplina, honestidade, imparcialidade, prudência, rapidez de ação, reação e responsabilidade.

Características importantes

Atenção concentrada, capacidade de observação, dinamismo, educação, energia/autoridade, iniciativa, memória fisionômica, memória visual, organização, percepção, resistência à frustração e sociabilidade.

Características necessárias

Fluência oral, inteligência (raciocínio dedutivo/indutivo), persuasão e raciocínio verbal.

Quais condições podem eliminar um candidato no exame psicotécnico?

Em geral, as seguintes condições podem eliminar os candidatos no teste psicotécnico:

• psicopatologias, vícios (álcool, drogas, jogos, etc.);

• desvios de sexualidade;

• heteroagressividade exacerbada;

• agressividade auto-dirigida;

• fanatismo religioso;

• fanatismo ideológico;

• emotividade acentuada;

• impulsividade exacerbada;

• estrutura frágil de personalidade/ sensibilidade acentuada.

O que a Lei diz sobre o exame psicotécnico?

A avaliação psicológica só pode ser exigida no concurso público se houver lei específica. Esse entendimento já está decidido pelo Supremo Tribunal Federal na Súmula Vinculante nº 44, que diz:

“Só por lei se pode sujeitar a exame psicotécnico a habilitação de candidato a cargo público.”

É o caso, por exemplo, do art. 3º, da Lei 9.654/98, que dispõe sobre a avaliação psicológica para o cargo de Policial Rodoviário Federal

O art. 9º, inciso VII, da Lei 4.878/65 dispõe assim para o cargo de Policial Federal. Assim, o teste psicológico só pode ser realizado como etapa de concurso se houver lei dispondo expressamente sobre essa exigência.

Quando o exame não é previsto em lei, não pode ser exigido pela banca examinadora.

Fui reprovado no teste de psicotécnico: e agora?

No caso de reprovação em concurso, é possível entrar com recurso administrativo, caso você não concorde com o resultado do teste psicotécnico.

Inclusive, pode contar com o apoio de um especialista na área psíquica, como um psicólogo, para rever as provas e laudos.

Se houver indícios de que houve falhas na análise do teste do candidato, como a falta de fundamentos e critérios para tal avaliação, por exemplo, é possível recorrer à justiça a partir de uma ação judicial.

Isso porque apenas dizer que o candidato possui descontrole emocional e não apresentar as devidas características identificadas que, de fato, podem ser prejudiciais ao cargo, não justifica a sua eliminação.

O participante do concurso tem o direito de saber o que levou a sua reprovação de forma detalhada.

Enquanto a banca examinadora tem o dever de demonstrar as razões que tornam as condições psíquicas do candidato incompatíveis com as funções do cargo e que, por consequência, o impossibilita de ser nomeado ou tomar posse.

Para compreender melhor sobre o assunto, assista ao vídeo sobre Teste Psicotécnico nos Concursos Públicos — Sustentação Oral no TJGO:

Dicas para os exames psicotécnicos

Para lhe ajudar na preparação desta fase, vou comentar a seguir 4 dicas que devem ser consideradas antes de realizar o exame psicotécnico. Confira:

1. Preparação

Sabemos que o objetivo dos exames psicotécnicos é avaliar as condições psicológicas do candidato. Portanto, é fundamental que esse mesmo candidato tenha clareza que a análise ocorre a partir da aplicação de vários testes, como:

• teste de personalidade;

• teste de raciocínio;

• teste de memória;

• teste de habilidades específicas.

Cada concurso pode apresentar diferentes tipos de testes e o mais importante é ter o mínimo de conhecimento sobre eles com antecedência, até mesmo para não ficar perdido na hora de realizá-los.

2. Entenda a dinâmica dos testes e mantenha a calma

Sabemos que independente do teste a ser realizado, manter a calma sempre será uma decisão inteligente. 

Compreender como os testes serão aplicados possivelmente ajudará a manter a tranquilidade e aumentar a confiança.

É muito mais fácil lidar com algo que já estamos mais familiarizados do que com aqueles desafios que parecem  sobrenaturais, então, a dica é: busque entender a dinâmica dos testes com antecedência e não deixe o nervosismo tomar conta.

3. Busque referências

Outra dica importante é conversar e tirar dúvidas com pessoas que já passaram pelo exame psicotécnico em outros concursos. 

Busque saber quais foram os testes aplicados, as principais dificuldades na hora de realizá-los e a dinâmica estabelecida com os aplicadores do exame.

Embora cada concurso e teste possa apresentar particularidade, compreender a versão de outros candidatos pode ajudar na preparação ou, até mesmo, servir como referência nesta etapa do concurso.  

4. Fique atento ao que será avaliado

Muitos candidatos, ao se deparar com o exame psicotécnico, possuem dificuldades de compreender o que o teste quer avaliar e como ele avalia. Por isso, se atente a explicação de cada um deles.

No caso de um questionário de perguntas, verifique se está sendo solicitado para assinalar a alternativa correta ou errada ou se é para marcar o que você faria, ou não, na situação apresentada.

Conclusão

Como vimos, o exame psicotécnico é uma etapa obrigatória e fundamental no concurso público. 

Existe a possibilidade de você discordar com o resultado final do teste e, assim, pode recorrer de forma administrativa ou judicial. 

Nesse caso, para ajudar na análise de possíveis irregularidades, é fundamental a presença de um advogado e profissionais como psicólogos especializados na área para lhe ajudar a reverter a situação. 

Agnaldo Bastos, advogado especialista em ajudar candidatos de concursos públicos que sofrem injustiças e, também, servidores públicos perante atos ilegais praticados pela Administração Pública, atuando em Processo Administrativo Disciplinar (PAD) e em Ações de Ato de Improbidade Administrativa.

Fonte: concursos.adv.br

0/Comentários

Agradecemos pelo seu comentário!

Anterior Próxima