VÍDEO: Professora é afastada após cena de agressão contra criança autista em escola de SC

video professora afastada agressao crianca autista escola sc
Via @ndmais | Uma professora da rede municipal de Porto União, no Planalto Norte catarinense, foi afastada de suas funções após ser acusada de agredir uma criança autista de 4 anos. A mãe do garoto expôs a situação e registrou um boletim de ocorrência. O caso ocorreu no dia 4 de junho e foi registrado pelas câmeras de segurança da escola.

Nas imagens, é possível ver o momento em que a criança sai por uma porta, seguida pela professora, que a puxa de volta para dentro da sala de aula. Em seguida, a criança se deita no chão e a professora a arrasta com o pé para dentro da sala. O menino se levanta e acerta a professora com os braços, que revida.

“Soco no coração”, diz mãe

A mãe da criança, que preferiu não ser identificada para preservar a privacidade do filho, contou como o encontrou após o ocorrido. “Ele veio pela mão da diretora chorando e disse que a professora tinha dado um soco no coração dele. Foi um choque, um impacto muito grande, porque acredito muito no meu filho. Ele é muito esclarecido, conta com muita precisão e tem a memória muito boa”.

Após o episódio, a mãe solicitou as imagens da câmera de segurança e, depois de analisá-las, decidiu registrar um boletim de ocorrência. O caso agora é investigado pelas autoridades.

“Quero deixar um alerta que os pais fiquem atentos, porque por mais que seja um autista não-verbal, nós conhecemos os nossos filhos, quando há uma alteração de comportamento. Não existe só a agressão física, existe também a psicológica, que para eles, que têm uma hipersensibilidade, é muito prejudicial. Muitos têm dificuldade de socialização, com sensibilidade ao som, a gritos, e não têm a capacidade de entender o porquê daquela agressão, daquela pessoa que deveria estar cuidando, atendendo, ser o porto seguro, agredindo”, destacou a mãe.

Professora afastada

A Secretaria Municipal de Educação de Porto União informou, por meio de nota, que tomou conhecimento dos fatos e decidiu pelo afastamento da professora por 60 dias, sem prejuízo de remuneração. O afastamento ocorreu no último dia 7 e pode ser prorrogado ao fim do procedimento.

Além disso, foi instaurado um processo administrativo disciplinar para apurar a conduta da servidora pública, com uma comissão responsável pela investigação, que tem duração prevista de 60 dias.

Procurada pela reportagem, a professora disse que não falaria a respeito do caso e encaminhou o contato da sua assessoria jurídica. O ND Mais tentou contato com os advogados, mas até o fechamento da matéria não obteve retorno. O espaço segue aberto para manifestações.

Por Richard Vieira
Fonte: ndmais.com.br

0/Comentários

Agradecemos pelo seu comentário!

Anterior Próxima