Notícias

Curiosidades

Dicas

Artigos

11 excelentes livros inspiradores que todo concurseiro realmente deveria ler

goo.gl/0MNHR0 | Se você está se preparando para um concurso público, talvez nem aguente nem mais olhar para livros: a carga de leituras sobre o conteúdo cobrado no exame é tão grande que você prefere usar o seu tempo livre ouvindo música, passeando ou vendo TV.

É compreensível — mas também é importante lembrar que os livros não precisam ser necessariamente didáticos e podem ser uma ótima fonte de motivação e relaxamento.

Obras de literatura, ciência ou autoajuda, por exemplo, podem trazer reflexões valiosas para tornar a sua maratona de estudos menos sofrida e mais eficiente.

Não que essa seja uma “solução mágica” para o desafio de vencer a concorrência. “Não existe um livro ou uma pílula que fará alguém acordar todo domingo de manhã morrendo de vontade de estudar”, diz Edilson Vitorelli, procurador da República e professor da rede LFG.

Ainda assim, é possível contar com esse recurso para facilitar a sua preparação para a prova. De títulos sobre neurociência a uma peça de William Shakespeare, confira a seguir 12 indicações de quatro professores do Damásio Educacional e da LFG:

1. “Como se preparar para concursos públicos com alto rendimento”, de Rogério Neiva



Segundo Marco Antônio Araújo Júnior, presidente da ANPAC (Associação Nacional de Proteção e Apoio ao Concurso Público) e diretor executivo do Damásio Educacional, o livro é um guia estratégico para quem quer ser aprovado em um concurso público. “O autor é professor de cursos preparatórios para concursos e um profundo pesquisador da mente humana”, diz Araújo. “Com linguagem fluida, ele mostra que o controle emocional do candidato é uma ferramenta importante para o sucesso de sua preparação, aliada à racionalidade e ao monitoramento constante”.

2. “A arte da guerra”, de Sun Tzu



Escrito pelo general e filósofo chinês Sun Tzu (544 a.C. - 496 a.C), este livro é um clássico sobre disciplina e estratégia, e é indicado para concurseiros graças aos possíveis paralelos entre passar num concurso e vencer uma guerra. “A obra fala sobre foco e ensina a enfrentar, com equilíbrio emocional, a batalha do concurso público”, diz Marco Antônio Araújo, do Damásio Educacional. “É uma leitura que deve despertar no concurseiro um espírito estratégico”.

3. “O livro do concurso público”, de Fabrício Bittencourt da Cruz



Magistrado federal, o autor ocupou diversos cargos públicos ao longo da vida, como promotor de Justiça, técnico da Justiça Federal e delegado de polícia. Nesta obra, ele mostra o “caminho das pedras” para a aprovação na carreira pública. Para isso, compartilha sua experiência de estudos, de forma leve e bem-humorada, com ênfase na importância das metas a curto e longo prazo. Segundo Araújo, do Damásio Educacional, a obra vale a pena para quem busca orientações, dicas e incentivos para enfrentar uma maratona de estudos.

4. “Como passei em 15 concursos públicos”, José Roberto Lima



Segundo Araújo, esta é uma obra simples, de fácil leitura, que merece ser conhecida por qualquer pessoa em fase de preparação para um concurso público. Aprovado múltiplas vezes em diversos certames, o autor compartilha com o leitor algumas das táticas que usou para promover o próprio aprendizado. O conteúdo inclui técnicas de memorização, orientações para a leitura do edital e ideias para criar um ambiente de estudos tranquilo e produtivo.

5. “De faxineiro a procurador da República”, Manoel Pastana



O livro conta uma história real de um homem que veio de uma família pobre, trabalhou como faxineiro e, após criar um método de estudo baseado em inteligência emocional, acabou sendo aprovado em 1º lugar em um concurso para procurador federal do INSS. “Além de compartilhar estratégias mentais e técnicas de estudo, ele fala sobre suas decepções e o sucesso no primeiro concurso”, diz Araújo. “É uma obra estimulante, que revela a força do mérito e da superação”.
,

6. "Autobiografia de um iogue", de Paramahansa Yogananda



Escrito em 1946, o livro traz relatos sobre poderes iogues de ressuscitar mortos, ver através de paredes e curar doenças terminais. O autor também descreve sua busca por um mestre espiritual e fala sobre seus encontros com Mahatma Gandhi. No entanto, a obra não é estritamente religiosa, diz Pablo Stolze, professor da LFG e juiz de Direito do Tribunal de Justiça da Bahia, que recomenda o livro para todos os seus alunos. “Esta obra era a única que Steve Jobs, um dos maiores empreendedores do planeta, mantinha em seu iPhone”, diz ele. “É uma obra com o dom de desconstruir a nossa ilusória visão do mundo e tem uma chave entre suas linhas, que permite a redescoberta de si mesmo”.

7. "Aumente o poder do seu cérebro", de John Medina



O livro traz 12 princípios sobre o funcionamento da mente, ou “regras do cérebro”, que podem ajudar a melhorar a capacidade cognitiva. A partir disso, dá conselhos para se sair bem em diversos tipos de atividades, inclusive durante estudos ou provas. “Apesar de a edição brasileira ter recebido um título muito comercial (o livro se chama, no original, “Brain Rules”), as aparências enganam e Medina é um pesquisador sério, vinculado a grandes instituições norte-americanas”, diz Edilson Vitorelli, procurador da República e professor da rede LFG. “No livro, ele apresenta regras para melhorar o funcionamento do cérebro, muito práticas e diretas”.
,

8. “A arte de esquecer: Cérebro, memória e esquecimento", de Iván Izquierdo



Neste livro, o renomado neurocientista Iván Izquierdo explora uma das questões que mais atormentam o estudante: o esquecimento. Durante a preparação para a prova, é difícil definir quais informações podem e até devem ser esquecidas e quais devem ser armazenadas, diz Vitorelli. No entanto, a relação com o esquecimento não precisa ser tão negativa - e este livro ajuda a compreender isso. O leitor entende por que apagamos certas memórias, quais são as várias formas de esquecimento (bloqueio, extinção e repressão) e a importância do esquecimento para conviver com os demais, não enlouquecer e até sobreviver.

9. "No ar rarefeito", de Jon Krakauer



Em 1996, o jornalista Jon Krakauer foi contratado para acompanhar e cobrir uma escalada do monte Everest. No entanto, a aventura terminou em tragédia: no total, 12 alpinistas morreram no processo. O relato tocante de Krakauer sobre o episódio virou este livro. Na opinião de Roberto Caparroz, auditor fiscal da Receita Federal e professor da LFG, trata-se de um depoimento imperdível sobre como enfrentar grandes desafios, viver sonhos e superar adversidades.

10. "Tratado da argumentação", de Chaim Perelman



Gregos, latinos e autores da Renascença estudaram a arte de discutir e persuadir. Nesta obra, de 1958, o filósofo Chaim Perelman dirige lições para quem precisa fazer algum tipo de trabalho de convencimento - o que se aplica aos concurseiros. "A linguagem e a pensamento são elementos essenciais para o sucesso no mundo dos concursos”, diz Caparroz. “O estudo da retórica, da argumentação e da persuasão permite ao candidato escrever melhor e, acima de tudo, desvendar as questões propostas pelas bancas examinadoras".

11. "O mercador de Veneza", de William Shakespeare



Nesta peça do maior autor da língua inglesa, um homem pede um empréstimo ao judeu Shylock e oferece, como garantia de pagamento, um pedaço da sua própria carne. O conflito começa quando ele é cobrado a cumprir sua promessa. "Um dos livros mais simples de Shakespeare revela-se o primeiro e talvez o melhor estudo sobre a interpretação jurídica, a aplicação das leis e dos contratos, algo indispensável para concurseiros”, diz Caparroz.

Por Claudia Gasparini
Fonte: Exame

Nenhum comentário :

Agradecemos pelo seu comentário!