Transtorno de atenção pode ser controlado para melhorar rendimento nos estudos

Nenhum comentário
goo.gl/qtEzh6 | Também conhecido como Distúrbio de Déficit de Atenção (DDA), o Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDAH) tem como sintomas básicos a falta de atenção, a impulsividade e a agitação motora.

Em crianças e adolescentes, a consequência comum do transtorno é mau rendimento escolar. Mas o problema é vitalício e, se não for tratado, compromete muito mais que o desempenho nas provas.

Especialistas não chegaram a um consenso sobre as causas do TDAH. Ele pode ser transmitido geneticamente pelos pais, pode decorrer de uma disfunção neuroquímica e também ser influenciado por fatores como ambiente familiar, exposição ao chumbo e consumo de álcool e tabaco pela mãe durante a gestação. Ou ainda, pode ocorrer por conta da junção de todos esses motivos.

“O tratamento é medicamentoso, com acompanhamento do psiquiatra ou do neurologista e da terapia com psicólogo”, explica a psicóloga Adriana Nobre de Paula Simão.

No mestrado e no doutorado, Adriana estudou a ocorrência do transtorno de atenção em crianças encaminhadas para avaliação neuropsicológica e constatou que cada paciente precisa de uma receita diferente para controlar o déficit de atenção.

“Pais e professores precisam incentivá-los a se organizar e acompanhá-los mais de perto que as outras crianças. Algumas precisam sentar mais perto da professora, para outras, o melhor é ter um amigo que o ajude, que lembre de anotar as coisas”, exemplifica Adriana.

Também não existe cura para o TDAH, por isso o tratamento pretende tornar o paciente apto a controlar todos os sintomas do transtorno, esclarece a psicóloga. “Fazemos treino de atenção, de organização, de planejamento. A pessoa tem que melhorar a própria atenção”, descreve.

Diagnóstico


Diferentemente de outros transtornos (como o Bipolar), o déficit de atenção se manifesta da mesma forma em qualquer situação, independentemente do nível de estresse ou tipo de emoção experimentada. “Para ter o diagnóstico, tem que ter os mesmos sintomas em todos os lugares”, esclarece a psicóloga.

Há três tipo de TDAH: o inatento, o hiperativo e o combinado. Os dois primeiros têm nove sintomas típicos e o paciente precisa apresentar ao menos seis deles por seis meses para ser diagnosticado portador. Para ter o TDAH combinado, a pessoa precisa manifestar seis sintomas do tipo inatento e outros seis do tipo hiperativo por seis meses.

Confira os sintomas de cada tipo do Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDAH):


Fonte: guiadoestudante abril 

Nenhum comentário

Postar um comentário

Agradecemos pelo seu comentário!