Defensora feminista, advogada de Neymar explica por que aceitou o caso: 'É uma falsa acusação'

5 comentários
bit.ly/2KxUhQX | Nova advogada no caso Neymar, Maira Fernandes é conhecida por ser defensora dos direitos das mulheres e apoiar o feminismo. A potiguar, de 37 anos, foi convidada pelo escritório que já defende Neymar, através dos advogados Davi Tangerino e Salo de Carvalho para ajudar, e usou as redes sociais, na tarde desta quinta-feira, para explicar os motivos da sua decisão.

"Pedi para analisar os autos e me convenci, absolutamente, de que se trata de uma falsa acusação de estupro. De modo geral, a advocacia criminal prescinde desse tipo de análise, por amor ao direito de defesa. Mas, no meu caso, pela minha trajetória como feminista, na defesa dos direitos das mulheres, essa análise era importante", escreveu em sua página no Facebook.

Maira disse que analisou as imagens e confia que Najila Trindade Mendes mentiu na acusação de estupro, que teria acontecido no dia 15 de maio, em Paris, na França. A advogada ainda afirmou que "um registro falso não contribui em nada para diminuir ou combater esse crime".

"O que vi me deixou em tudo confortável para exercer a defesa do cliente, por compreender que uma acusação criminal injusta destrói a vida de uma pessoa e por entender que uma falsa acusação de estupro não ajuda a causa feminista. Uma mulher é estuprada a cada 11 minutos no país. Um registro falso de estupro não contribui em nada para diminuir ou combater esse crime", continuou.

Veja a explicação na íntegra:

"Fui procurada para defender o jogador Neymar Jr, por dois advogados que muito admiro e que sempre foram muito próximos da causa feminista, Davi Tangerino e Salo de Carvalho. Pedi para analisar os autos e me convenci, absolutamente, de que se trata de uma falsa acusação de estupro. De modo geral, a advocacia criminal prescinde desse tipo de análise, por amor ao direito de defesa. Mas, no meu caso, pela minha trajetória como feminista, na defesa dos direitos das mulheres, essa análise era importante.

O que vi me deixou em tudo confortável para exercer a defesa do cliente, por compreender que uma acusação criminal injusta destrói a vida de uma pessoa e por entender que uma falsa acusação de estupro não ajuda a causa feminista. Uma mulher é estuprada a cada 11 minutos no país. Um registro falso de estupro não contribui em nada para diminuir ou combater esse crime.

Espero poder, ao lado dos demais colegas, contribuir para provar a inocência de um rapaz que, famoso ou não, não cometeu o crime imputado a ele. A minha trajetória como feminista, ativista de direitos humanos e advogada criminal é longa e conhecida. Sempre me pautei pela defesa da verdade e sempre fui fiel a valores e preceitos éticos, tanto em minha militância, quanto em minha atuação profissional. Nesse episódio, me mantenho reta nessa direção e estou tranquila por defender a justiça e a verdade"

Fonte: extra.globo.com

5 comentários

  1. É tão bom ver uma pessoa ponderada e equilibrada. Independente de gênero ou raça. Parabéns. Boa sorte a todos os envolvidos defendendo o lado da Verdade.

    ResponderExcluir
  2. Isso nos reforça ainda mais como defensores da verdade e da justiça,está de Parabens a Dr.Maria Fernandes ..excelente posição da mulher!

    ResponderExcluir
  3. Neymar tem pode para contratar os melhores advogados do Brasil, ao contrário da outra parte, meus clientes independentes do que os acusem eles para mim são sempre inocentes e tem a razão, um bom advogado faz o certo virar errado e o errado virar certo, mas nesse caso que a justiça seja feita......

    ResponderExcluir
  4. Discordo!
    Meus clientes nem sempre estão certos e nem sempre são inocentes, eu não preciso acreditar nisso para atuar como advogada.
    Acontece que, bons advogados defendem o direito, não o crime.
    “ faz o certo virar errado e o errado virar certo” isso não existe, o “certo” tem direitos e o “ errado” também, não somos mágicos e a justiça se faz com um conjunto de profissionais.
    Essa advogada está de parabéns por defender o que acredita baseando-se na análise dos autos e não na mídia! ����

    ResponderExcluir
  5. Nunca vi um caso recheado de falta de etica profissional por parte dos patronos,lamentável

    ResponderExcluir

Agradecemos pelo seu comentário!