Criminalistas saem em defesa da advogada de Neymar: sem “convicção pessoal” acima do cliente

Nenhum comentário
bit.ly/2XtBUAe | Após a advogada Maíra Fernandes ser expulsa do Cladem (Comitê da América Latina e do Caribe para a Defesa dos Direitos da Mulher) por ter assumido a defesa de Neymar na denúncia envolvendo suposto estupro, a Associação Brasileira de Advogados Criminalistas (ABRACRIM) saiu em defesa da colega, alegando que ela não pode ter suas convicções “pessoais” invocadas como motivo para questionar uma causa que assumiu.

“(…) é inadmissível que uma advogada criminalista seja criticada por patrocinar a defesa de quem quer que seja e ainda que suas convicções pessoais sejam invocadas para questionar o exercício do seu ofício.”

Fernandes é advogada ativista de Direitos Humanos e autoproclamada feminista. Segundo a nota da Associação, o código de ética dos advogados preconiza “a defesa criminal ‘sem considerar sua própria opinião sobre a culpa do acusado’.”

No Facebook, contudo, a criminalista publicou uma nota afirmando que tem a convicção de que Neymar é vítima de denúncia falsa de estupro. Ela também contou que foi procurada por outros advogados do jogador, que também teriam compromissos com a causa feminista, para liderar a defesa neste caso.

Além da acusação de estupro, Neymar é alvo de inquérito por ter divulgado, sem autorização da vítima, fotos de nudez e de intimidade com ela.

Maíra fazia parte do Cladem há mais de 15 anos, contou a jornalista Mônica Bergamo na Folha desta sexta (7). O Cladem comentou ao jornal que “toda e qualquer pessoa tem direito à defesa dentro dos limites processuais estabelecidos pela ordem jurídica”.

O Cladem também anotou que advogado têm o direito “ao livre exercício de sua profissão” e não podem ser questionados sobre os motivos por que aceitam um ou outro caso.

Por Jornal GGN
Fonte: jornalggn.com.br

Nenhum comentário

Postar um comentário

Agradecemos pelo seu comentário!