Notícias

Curiosidades

Dicas

Artigos

Saiba como um erro de português escrito em cartaz virou caso sério de polícia na Paraíba

goo.gl/85WbHV | No cartaz estava escrito "Oferta imperdível. Chip Vivo. R$ 1 com aparelho". Ao ler, o professor Aurélio Damião, 38, considerou a proposta irrecusável.

Com R$ 4 no bolso, ele entrou na loja localizada no centro de Guarabira, agreste da Paraíba, e pediu chips -- com os quatro aparelhos celulares correspondentes. Ele havia registrado a oferta com uma foto antes de ir ao trabalho e decidiu fazer a compra no final do expediente.

"Passei na loja e pedi: me veja quatro aparelhos de R$ 1 da promoção", contou Damião.

O atendente da loja "explicou" o anúncio. Na verdade, disseram, o redator queria dizer que os chips da operadora em questão sairiam por R$ 1 no caso da compra de qualquer celular adquirido pelo preço normal de tabela.

Erro de português virou caso de polícia

A confusão começou. O professor acionou a polícia, que levou todo mundo para o 4º DP (Distrito Policial).

"Eles [os funcionários da loja] tentaram me humilhar, ameaçar, iludir, mas não arredei o pé e esperei a presença da PM", conta o professor. "A polícia orientou que deveríamos ir à delegacia já que a loja se negava a cumprir o anunciado", contou Damião, destacando que sempre observa erros gramaticais em anúncios.

Na delegacia, as partes chegaram a um acordo. Damião recebeu a doação de um vale de R$ 100 para aquisição de um aparelho. Com chip. "Caso não chegassem a um acordo, teria de se usar a Justiça e as partes resolveram se entender logo", disse um agente do 4º DP.

Queria dar uma lição

Damião voltou à loja e escolheu um aparelho com dois chips mais câmera. A nota fiscal veio no valor de R$ 98,70. O caixa da loja tentou devolver o troco de R$ 1,30, relata o cliente. "Deixei de caixinha", conta.

"Fiz isso para que eles aprendam a escrever de forma correta e nos respeitem como consumidor", afirmou o professor que leciona história, filosofia e sociologia.

A reportagem do UOL tentou contato com a Eletro Shopping Guarabira, que preferiu não comentar o assunto.

Fonte: UOL

8 comentários :

  1. Típico caso de... Eu ia comentar, mas...

    ResponderExcluir
  2. Típico caso de... Eu ia comentar, mas...

    ResponderExcluir
  3. Dar uma lição ou se aproveitar da situação? Pessoas que vivem de ações judiciais, logo se vê quando ele diz "sempre observa erros gramaticais em anúncios".

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acredito que ele quis os dois, se aproveitar da deixa, para também dar uma lição. Já fiz isso também, num restaurante, colocaram que o prato de picanha era 35 reais, pedi e quando fui pagar, me passaram o valor de 85 reais, no fim, escreveram errado e eu cobrei de pagar o que estava prometido pelo anúncio, os 35 reais.

      Excluir
  4. Tá certo. Por isso o cara é professor, estudado!!!! Nem precisou interpor a ação pra mostrar que a loja é responsável pelo que escreve! Certíssimo. Se tds brasileiros fossem assim, seríamos mt mais desenvolvidos

    ResponderExcluir
  5. Olá,

    Este é informar o público em geral que a Sra HENRIETTA FERNANDO, uma boa reputação empréstimos credor privado abriu uma oportunidade econômica para todos aqueles que necessitam de qualquer ajuda financeira. Você precisa de um empréstimo urgente para limpar seus débitos ou precisa de uma casa empréstimo para melhorar o seu negócio? Você já foi rejeitado pelos bancos e outras instituições financeiras? Não procure mais, porque nós estamos aqui para todos os seus problemas financeiros. Damos empréstimos a taxa de juros de 2% dos indivíduos, empresas e sociedades em um termos e condições claras e compreensíveis que se adapte perfeitamente a sua condição e dispostos felizes em fornecer um empréstimo.

    E-mail para: (henriettafernandoloanfirm@gmail.com)

    ResponderExcluir
  6. Quando vi a foto, entendi que R$ 1,00 compraria o chip e o aparelho, tal qual o consumidor.

    ResponderExcluir

Agradecemos pelo seu comentário!