Notícias

Curiosidades

Dicas

Artigos

Dono da arma de fogo usada por criança em vídeo responde por porte ilegal

goo.gl/OHoujL | A Polícia Federal em Jales (SP) constatou que o dono da pistola .380 usada por uma criança em vídeo já responde por porte ilegal de armas. O vídeo estava no celular de outra pessoa, o ex-advogado da prefeitura de Urânia, preso preventivamente por suspeita de participação em esquema de desvios de recursos públicos da prefeitura, que foi investigado na Operação Repartição. A operação começou no mês passado, quando cinco pessoas foram presas.

Segundo a polícia, foi por meio do vídeo que a polícia chegou ao dono da arma, que não é o homem que aparece na (imagem abaixo). Ele é funcionário público do Departamento de Águas e Energia Elétrica (DAEE) de Jales e também pode pegar de dois a quatro anos de prisão por emprestar a arma ao amigo. Nesta quinta-feira (27), a PF deve ouvir o depoimento dele.

Após pesquisar o servidor do DAEE, a PF verificou que ele havia sido preso em flagrante por porte ilegal de armas em agosto de 2016 e respondia ao crime em liberdade. "Para a surpresa dos federais, ele conseguiu, apenas dois dias após sua prisão em flagrante, adquirir uma nova pistola calibre .380 em uma loja de Jales, pois tinha uma autorização do Exército Brasileiro, obtida antes de sua prisão, para adquirir armas como atirador esportivo", informou a PF por meio de nota.

O crime está previsto no Estatuto do Desarmamento e o funcionário público não tinha autorização para andar com a arma, justamente por causa dessa prisão de 2016. Na época, ele pagou fiança e responde ao crime em liberdade. A TV TEM tentou falar com ele, mas não foi encontrado.

A busca e apreensão teve origem em informações obtidas pela PF nas análises dos equipamentos apreendidos na Operação Repartição, que investigou desvios de recursos públicos em Urânia.

No celular do ex-advogado da prefeitura de Urânia foram encontrados vídeos em que ele orientava seus filhos, menores de idade, na prática de tiro em zona rural, ilegalmente e em local impróprio para a prática de tiro com arma de fogo.

A Polícia Federal identificou o número de série do armamento usado pelos menores e ao rastrear a numeração da arma a identificou como de propriedade do servidor do DAEE.



Criança segura arma com a presença do pai, segundo a PF (Foto: Divulgação/Polícia Federal)

A arma que aparece no vídeo é uma pistola .380 e foi emprestada para o ex-advogado da prefeitura, que registrou em seu celular apreendido imagens em que ele a entregava a seus filhos, menores de idade, para que praticassem tiro.

A pistola foi apreendida nesta quarta-feira, junto com outras duas armas irregulares durante o cumprimento do mandado de busca e apreensão.

Preso

O ex-advogado da prefeitura de Urânia está preso preventivamente por suspeita de participação em esquema de desvios de recursos públicos da prefeitura, que foi investigado na Operação Repartição e também será indiciado pelo crime que pune a entrega de arma, de qualquer forma, a criança ou adolescente, com pena prevista de até seis anos de reclusão.

O servidor responderá pelo crime por emprestar ilegalmente seu armamento a terceiros, com pena prevista de até quatro anos de reclusão.

O caso

Todos os presos na operação Repatriação são acusados de desviar cerca de R$ 400 mil da prefeitura de Urânia, que foi recebido do Governo Federal. A operação também investiga fraudes na folha de pagamento da prefeitura de Urânia na gestão passada.

Segundo a PF, nos pagamentos suspeitos, pagos a apenas alguns assessores próximos ao ex-prefeito, foram indenizadas férias e licenças-prêmio de até sete anos de trabalho. Dois ex-assessores jurídicos receberam valores de acerto trabalhista de até R$ 62 mil.

Durante as investigações, os federais confirmaram que os 12 beneficiados com os pagamentos feitos no último dia de mandato, são, na maioria, filiados ao partido do ex-prefeito ou fizeram parte de sua coligação nas eleições de 2012. A polícia diz que ao analisar o histórico de remuneração dos ex-assessores, os agentes verificaram que alguns deles tiveram até 400% de aumento salarial no período da administração do ex-prefeito.



Armas e documentos apreendidos pela Polícia Federal (Foto: Divulgação/Polícia Federal)

Fonte: g1 globo

Nenhum comentário :

Agradecemos pelo seu comentário!