Notícias

Curiosidades

Dicas

Artigos

Dicas de Ouro: cinco atos que você NUNCA deve cometer na advocacia prisional

goo.gl/WjaXnn | Olá amigos leitores, hoje trago algumas dicas do que não fazer para ter êxito na sua atividade.

Eu quero enumerar cinco coisas que você NUNCA deve fazer:

  • Nunca prometer nada que foge da sua alçada:O advogado, em especial o criminalista, deve ter sempre noção das suas possibilidades, devendo sempre desenvolver uma relação de sinceridade e confiança com seu cliente, sempre deixando claro todas as possibilidades e o que pode e será feito. Isso, pois, o advogado deve ter a ciência do que está ao seu alcance, e o que depende de outro (s) ator (es) para ser solucionado/agilizado. Dessa forma, caso o profissional deseje se manter na área a longo prazo, ele precisa saber que mentir ou iludir o cliente e/ou sua família, a qualquer título, pode ter um preço caro.

  • Jamais destratar os funcionários do Estado e nunca agir com arrogância: Continuando nossa explanação, é preciso que o advogado criminal tenha em mente que qualquer funcionário que lide com o sistema, pode se tornar um grande aliado ou um grande inimigo, e muitas vezes isso é determinado pelo simples tratamento dispensado nas ocasiões cotidianas. O Advogado não está acima da lei, nem possui um posto privilegiado na sociedade que o permita agir com superioridade, muito menos com arrogância. Nesse sentido, temos que a importância de tratar com cortesia e dignidade todos os envolvidos com o sistema é fundamental, uma vez que o trato diuturno com servidores, agentes, assistentes, diretores de secretarias, promotores, juízes etc., pode se tornar o maior trunfo do profissional bem quisto por todos na área, uma vez que estes não medirão esforços para ajudá-lo, seja prestando uma informação, seja apreciando (ou possibilitando a apreciação) seu pedido com mais celeridade, sempre que se depararem com seus pleitos no diaadia.

  • Sempre atender as ligações e retornar os telefonemas à cobrar:Inicialmente, é preciso frisar que telefonia é algo que você não pode economizar, e para isso o conselho que eu dou é que procure a melhor operadora para suas necessidades e faça um plano condizente com sua demanda. Uma coisa muito comum na advocacia criminal, e que você tem que se acostumar, é que os clientes e seus familiares muitas vezes não tem a noção exata do expediente. E é compreensível, pois a situação, na maioria das vezes, não pode esperar até o outro dia, por exemplo, quando acontece uma prisão em flagrante durante a madruga, o que vai demandar, provavelmente, um pleito de urgência no plantão judiciário. Outra situação muito comum é o fato de os clientes ligarem ou mandarem mensagens de dentro dos estabelecimentos penais. Aqui, nós tocamos em um ponto extremamente sensível do ponto de vista ético, que se não for analisado de acordo com as possibilidades fáticas e materiais da realidade, pode chegar a um ponto de vista equivocado. Como já se falou muito nesse curso, as condições materiais da administração prisional, e aqui incluindo os agentes penitenciários, são precárias. Isso envolve o número de agentes de plantão, os quais tem dentre outras atribuições levar os clientes para a entrevista “pessoal e reservada” com seu causídico. Falando por mim, em minha experiência profissional, eu posso dizer aqui que algumas vezes fui em determinados presídios e teria 8, 9, 10 clientes para conversar, POR VEZ. Como já falei, nunca é bom pedir para falar muitos clientes de uma vez, para não “abusar” da “boa vontade” dos agentes. Então, em uma ligação, muitas vezes, eu resolvo o que falaria com vários clientes, e eu não “importuno” os agentes demasiadamente. Pronto: todos felizes e satisfeitos!

  • Nunca se negar a prestar informações/esclarecimento aos seus clientes, familiares e não clientes (potenciais clientes): Os advogados são conhecidos e tem fama, pela postura antiética e degenerada de alguns profissionais que sujam a imagem dessa nobre classe, por serem verdadeiros “sugadores” de dinheiro das pessoas. Isso é uma lástima, e nós devemos combater essa situação por meio de uma postura profissional ética e colaborativa! Para tanto, nós devemos começar a mudança por nós mesmos, e isso passa pelas pequenas situações cotidianas em que, por exemplo, uma pessoa que você encontra em uma fila da Vara de Execuções Penais com uma dúvida e você sana, sem nenhum compromisso, tal dúvida. Essa pessoa, mesmo que não te contrate, vai ser muito grata a você. Esses momentos são sempre propícios para você apresentar um cartão de visita. Ela é um potencial cliente, e tem um alcance social que você não possui, podendo gerar grandes ganhos na sua clientela futura. Os seus clientes e os respectivos familiares, por outro lado, eu não preciso nem falar sobre a importância de estar sempre à disposição dos mesmos para tirar todas as suas dúvidas (mesmo que para isso você precise explicar dez vezes, de dez formas diferentes). Todos esses momentos, em que alguém te busca para uma assessoria (mesmo que informal), pode se tornar uma oportunidade para que você divulgue seus conhecimentos e seu trato profissional, o que invariavelmente fortalece seu marketing profissional.

  • Nunca deixe sua aparência descuidada: Outro ponto que precisa ficar muito claro, é que o advogado precisa estar com sua aparência em ordem como poucos outros profissionais. O advogado vende, primeiro, a sua imagem. O cliente adquiri credibilidade, muitas vezes, ao ver que sua aparência condiz com o nível de sua atividade profissional. Para isso, é necessário estar em dia com vestuário, por exemplo. Ninguém quer falar aqui que você gaste todo o seu dinheiro comprando inúmeros ternos, sapatos etc. Contudo, quer-se aqui alertar para a importância de você investir em dois ou três bons ternos, sapatos e cintos, e, é claro, gravatas. Por outro lado, manter barba, cabelo e bigode feitos é sempre bom: não quero falar, de forma alguma, para não usar, e sim de usar de uma forma adequada com o decoro exigido nesse meio profissional. Por fim, também é importante cuidar, dentro das possibilidades, da imagem do seu escritório, e mais especificamente do ambiente em que você recebe seus clientes: eles sempre notam nessas questões.

Outro ponto que merece ser frisado (e aqui consigno meu repúdio pessoal a essa prática social), é que um veículo as vezes se torna um bom cartão-de-visita, uma vez que pode se tornar difícil explicar ao cliente como cobrar dez, quinze, vinte mil reais de honorários, estando com um carro com valor de mercado equivalente…

Com mais essas dicas, colega, espero ter ajudado ainda mais no aperfeiçoamento da sua visão profissional, sempre enfocado em questões práticas do cotidiano forense, mais especificamente do advogado criminal que atual na Execução Penal!”

Gostou?

Deixe Seu Comentário!

No Mais Até o Próximo Encontro!

Por Advogado Atualizado
Fonte: Jus Brasil

Nenhum comentário :

Agradecemos pelo seu comentário!