Notícias

Curiosidades

Dicas

Artigos

Garotos de recados dos grandes escritórios de advocacia - Por Marcelo Barreto

goo.gl/MkWPNb | Com o mercado jurídico cada vez mais saturado, tem sido bastante comum bacharéis em direito recém aprovados no Exame de Ordem e até mesmo advogados experientes aderirem a condição de Advogados audiencistas.

O advogado audiencista nada mais é que um profissional que se dedica apenas a fazer audiências, tal como em ações contra telefônicas, bancos, planos de saúde e demais empresas que lidam com uma multiplicidade de processos em várias partes do Brasil.

A prática funciona da seguinte forma: as empresas contratam os grandes escritórios do país e estes, por sua vez, contratam escritórios locais, substabelecendo o mandato a estes, que por sua vez, substabelecem os advogados audiencistas pagando, também, os prepostos que recebem por cada audiência realizada. Os advogados audiencistas são recrutados por meio sites, e-mail, aplicativos ou em alguns casos por indicações de colegas.

O mencionado profissional costuma cobrar em média de R$ 20 à R$ 100 por audiência. Há alguns profissionais que possuem contratos fixos com escritórios onde faturam em média R$ 1.200,00 por mês.

Não vou questionar aqui a suposta exploração dos grandes escritórios aos profissionais que enfrentam dificuldades de inserção no mercado, e sim a falta de autonomia que os advogados audiencistas enfrentam em sua atuação.

O advogado do "escritório grande" envia a inicial, a contestação e mais algumas instruções para o audiencista através do Whatsapp. Este por sua vez, vai pra audiência e com o seu aparelho celular repete igual a um papagaio todas as instruções que lhe foram passadas: Evento 54, 15 Laudas, Pedidos no Bojo... Enfim, toda aquela ladainha dos juizados especiais. Para quem é leigo, passa a impressão de que qualquer um pode ser advogado, é só ler a tela do celular.

Com isso, o advogado fica impedido de mostrar todo seu potencial, e habilidades, passando apenas a ser um mero garoto de recados dos grandes escritórios. Em fases posteriores do processo, nada do que este profissional fez é levado em consideração.

Chego a conclusão de que 5 anos de árduas sessões de estudo, estágios e muitas expectativas servem apenas para vestir um terno, ler a tela do celular e receber uma esmola como pagamento. Se o celular descarregar, o que o nobre causídico irá fazer?

Pobre Advocacia...

Por Marcelo Barreto
Fonte: Jus Brasil

Nenhum comentário :

Agradecemos pelo seu comentário!