E aí, vai atuar como Correspondente Jurídico? Ótima escolha, mas fique ligado nestas dicas!

Nenhum comentário
goo.gl/zMUWun | O Advogado recém-formado, não raro, inicia a longa trajetória trabalhando como Correspondente Jurídico, e, de fato, taí, uma boa caminhada, uma ótima escolha e excelso conhecimento a ser adquirido, pois a Academia não ensinou a você e nem a mim, nem um terço do que se é obrigado a aprender na tora, no pau, na prática,no que tange ao labor diário e as feras a serem enfrentadas no dia a dia.

Aqui fora é valendo, meu!

Te vira!

Dá teus pulinhos, cabra!

Assim, atuar como Correspondente Jurídico é algo muito bom, salutar, o Jusbrasil e outros sites correlatos são ótimos parceiros e verdadeiros amigos dos Advogados brasileiros nesta questão.

Isto sem contar que quando você está numa plataforma destas, é inclinado a fazer um monte de novos amigos interestaduais, fixa contrato com grandes, médios ou pequenos escritórios que são, muitos deles, criteriosos e pontuais em seus pagamentos, valorizam o capital intelectual do profissional que irá desempenhar determinada tarefa, etc e tal.

O problema


O problema dá-se quando, inexperiente e ávido por ganhar os primeiros tostões, o Advogado iniciante aceita as propostas de atuação, sem filtrar, as condições recebidas em sua base de casos ou até mesmo por e-mail.

'Causos e mais causos'


Não raro, o Advogado depara-se com propostas indecorosas, ofertando valores desmoralizantes, tentando contratar um profissional para fazer uma Sustentação Oral em Tribunal, ofertando a merreca de R$100 (cem reais).

Neste instante, é hora de respirar fundo, espichar-se na confortável cadeira, tomar um café expresso de uma marca famosa, assoviar uma canção predileta e dar uma espiada na reputação do ‘contratante’ na admirável e parceira rede mundial de computadores.

Uma pessoa contou-me que uma empresa de ‘logística jurídica’ estava intentando contratá-la. A colega pesquisou e constatou que a referida empresa ostentava inúmeras reclamações por falta de pagamento de honorários aos Advogados Correspondentes contratados virtualmente.

A História do Perfil e do Pé frio


A colega respondeu que com um perfil e reputação naquele nível, é óbvio que não se habilitaria a fazer quaisquer tipos de trabalhos para a empresa, bem como, aproveitou o ensejo e pediu para que os requerentes observassem a Tabela da OAB da sua Seccional que estava a anexar.

Refeita e feliz por educar oportunistas, me contou a história vivenciada hoje, que findou por render-me a inspiração de conceder aos colegas jusbrasileiros mais alguns conselhos e dicas preciosas da Burégio no campo da Advocacia por Correspondência.

Vamos lá! Eis as dicas!


- É sério o que irei te falar, mas nada de pressa para ganhar dinheiro. Use um jargão da Burégio, e diga aos quatro cantos: ‘Dinheiro pouco, eu tenho muito’!;



- Avalie criteriosamente a reputação do Contratante;

- Siga criteriosamente a Tabela de Honorários Advocatícios da Seccional da sua Região;

- Não hesite em remeter aos imprudentes e ofertantes de honorários miseráveis, uma cópia da Tabela de Honorários vigentes na sua Seccional. Remeta via e-mail ou aplicativo. Eduque-os e ‘constranja-os’ positivamente;

- Não raro, empresas e escritórios de outros ramos formulam pedidos de préstimos de advogados para que façam algum ato e ofertam preços módicos, bem díspares do mínimo orientado pela OAB.

Neste caso, tenha paciência, pois você está diante de quem não é da área e não tem acesso às informações de valores dos honorários como você tem.

Desta feita, educada e criteriosamente, remeta a Tabela vigente da sua Seccional, chame atenção (marcando o texto) ao valor do ato e diga que o preço ajustado é aquele constante na respectiva lista;

- Mesmo antes de fechar o acordo, procure escutar o cliente. Soube de casos de certa pessoa que se apresentou como ‘Advogado’, mas não era, pois quando se fazia alguma pergunta técnica, não sabia responder, ficava perdidão, gaguejava. Então se descobria que era um curioso qualquer querendo confirmar preços ou outra coisa que não vem ao caso neste instante;

A birra jurídica


- Já viu uma criança fazendo birra para receber um pirulito da mamãe? - Seja birrento (no melhor sentido da palavra) mesmo! Esperneie, 'grite', faça biquinhos, chame a atenção, mas cuide em manter a sua palavra e o juramento solene feito quando de sua formatura, lembra?

Diligências Relâmpagos


- Cuidado com aquelas diligências relâmpagos, tipo: ‘ou vai ou racha’ ou ainda, estilo: ‘é pegar ou largar’! Funciona mais ou menos assim: O novo cliente te chama urgentemente, te contrata às 14 horas para você fazer um ‘ato biônico’ às 15:30 hs do mesmo dia.

Fique esperto!


Você até faz o ato, mas a probabilidade de não receber seus honorários é enorme. Isto porque, você está com tanta pressa e sequer deu-se ao trabalho de investigar o contratante. Óbvio, que se for um cliente conhecido e que tem honrado britanicamente os seus compromissos com você, vá de cabeça e não pense duas vezes.

Já pulei cada fria, caros colegas!

Direito e Poesia


- Lembre-se da melodia do lindo moreno de olhos amendoados, Almir Sater “Ando devagar, porque já tive pressa... Não esqueça de conhecer as manhas e as manhãs, ok?;

- Grandes escritórios são britânicos e organizados em seus pagamentos, e geralmente pedem um prazo de 10, 15 20 ou 30 dias para efetuar o pagamento com o Advogado Correspondente, mas pagam. Torça para eles manterem seu nome e dados nas planilhas organizacionais, pois tais chamados já mantêm um monte de contas mensais do seu escritório, viu?;

- Pequenos escritórios que ainda estão fazendo nome ou pequenos, mas veteranos são igualmente corretíssimos em seus negócios jurídicos, costumam pagar um dia antes da diligência e, pela experiência, nunca deixam os Correspondentes chupando dedo, nem descabelado por calotes, mas são igualmente corretos em seus pagamentos;

Gotinhas Milagrosas


- Advogados que sempre precisam de Correspondentes, interagem uns com os outros. Saiba que se você fizer um trabalho sério, compromissado, honrando o pactuado com o seu cliente, é fato que um colega indicará o seu nome a outro, e aí, de gota em gota você conquistará sua fragrância almejada no meio jurídico;

Seriedade e Comprometimento (delegada x malandra)


- Seja sério e mantenha a ética nas negociações. Soube de um caso em que a Advogada era tão séria na relação com o Contratante, que, já no final das tratativas, o cliente teclou: - Obrigado pelo serviço prestado, ‘Delegada’. Rsrsrsrsrs

Acho que a seriedade e compromisso cerrado renderam à patrona um apelido engraçado, mas pontual.

É que é melhor ser rotulada de ‘delegada’ de que ser chamada de ‘malandra’.

- Assim, avalie criteriosamente cada chamada, cada ligação recebida, cada diligência ofertada.

Apocalipse


- Não precisa de pressa, o mundo não vai acabar hoje, você tem sobrevivido até hoje e tenha em mente que canja de galinha e prudência não fazem mal a ninguém.

Sucesso! E que você detenha bons e rentáveis negócios!

Por Fátima Burégio
Fonte: Jus Brasil

Nenhum comentário

Postar um comentário

Agradecemos pelo seu comentário!