Notícias

Curiosidades

Dicas

Artigos

Por que não respeitamos a opinião contrária? (Artigo) de Pedro Magalhães Ganem

goo.gl/JRwupG | Aparentemente, vivemos um período em que não respeitamos a opinião contrária. Ao que tudo indica, pensar diferente é motivo de raiva. Mas por qual razão não aceitamos a opinião contrária? Vivemos uma “era da intolerância"?

Já faz algum tempo que escrevo sobre Direito Penal, principalmente no que se refere a assuntos voltados para a Criminologia, o que gera" incômodo "em muitos que leem.

As pessoas, ao invés de demonstrar o seu inconformismo com o que escrito, passam a ofender diretamente quem escreve, sem nem mesmo conhecer o autor.

Um dia desses publiquei um texto que falava sobre os estudos da Criminologia e como são prejudiciais os rótulos impostos a quem é réu em um processo penal.

O título do texto é" Precisamos parar de chamar as pessoas de 'bandido' "e caso queira acessá-lo, basta clicar aqui.

Nesse texto, trouxe algumas reflexões voltadas para o fato de que a partir do momento em que afirmamos que uma determinada pessoa é algo (bandido, traficante, assassino, assaltante, ...), incutimos nela essa" qualidade "e impedimos que ela seja outra coisa além disso.

O questionamento era mais ou menos assim: será que uma pessoa que é acusada de praticar um assalto é necessariamente um assaltante? Ou que aquele que é acusado de tráfico é um traficante?

Ele É um assaltante ou praticou um assalto? Pode parecer que não, mas isso faz toda a diferença.

Ao que tudo indica isso gerou uma revolta muito grande nos" leitores "(principalmente naqueles que só leram o título e não o conteúdo), os quais passaram a fazer as mais variadas ofensas pessoais a quem havia escrito o texto.

Vejamos algumas dessas ofensas:








Com isso me veio o questionamento: a não concordância com o conteúdo do texto, com a opinião do outro, é motivo para ataques pessoais?

Ninguém é obrigado a concordar com nada, sendo direito individual acreditar e achar o que bem entender, mas isso não é uma autorização para fazer e falar o que quiser.

E mais, basta navegar por alguns minutos na internet para presenciar inúmeras e incontáveis cenas de intolerância, das mais variadas.

Inclusive aqui no JusBrasil! Por mais contraditório que seja, principalmente por se tratar de um portal jurídico, a intolerância e o preconceito reinam por essas terras.

Parece que a internet é terra sem lei e as pessoas se sentem mais encorajadas a falar aquilo que não falariam, por medo, pessoalmente.

Será que não é possível ter opiniões divergentes, sem que isso cause um problema entre as pessoas?

Se eu sou contrário a redução da menoridade penal, é porque eu nunca fui vitimado, violentado e etc e que, portanto, deveria passar por uma situação como essa para ver o que é bom e começar a pensar que os adolescentes devem ser presos.

Ou, então, tenho que pegar esse menor e levá-lo para casa, já que tenho tanta dó dele.

De outro lado, se falo sobre as drogas, sou um “Zé Droguinha” que só pensa em benefício próprio e que tá doido para sair por aí usando drogas.

Ou, então, tenho que ser vítima de um usuário de drogas para saber o quanto a droga é ruim para a sociedade.

Sem falar do rótulo de" esquerdista ". Todo texto ou notícia que versa sobre os direitos inerentes aos seres humanos é de autoria de um" esquerdista ".

Sem falar daqueles comentários em que a pessoa deseja que você ou um familiar seu seja vítima de um crime para aprender qual é o lugar e qual é o tratamento que deve ser dado a" bandido ".

E por aí vai.

Mas calma lá!

O fato de eu ter uma opinião contrária a sua não me torna melhor ou pior do que você, apenas demonstra que pensamos diferente.

E não é pelo fato de que estamos na internet que a educação e os bons costumes deixaram de ser necessários.

Será que pessoalmente essas ofensas seriam feitas da mesma forma?

Precisamos entender que são as discordâncias que fazem uma sociedade mais justa e igualitária, pois não há como se chegar a solução de um problema se não se discute sobre ele e sobre as suas consequências.

Em regra, o Direito é voltado para a discussão, para a defesa de teses, e, por isso, se não conseguirmos realizar simples debates de forma impessoal, temos que mudar de profissão/área de estudo.

Menos intolerância e mais respeito com a opinião contrária.

É dessa junção de ideias que surgirá uma sociedade melhor e não da disputa para saber quem está com a razão.
_________________________________________

Comente também! Mesmo se não gostou ou não concordou.

Para atingir um resultado maior e melhor, o assunto deve ser debatido e as opiniões trocadas.

Um grande abraço!

Por Pedro Magalhães Ganem
Fonte: Jus Brasil

4 comentários :

  1. Caro editor, eu concordo com sua explanação em tempos normais, não que eu concorde com esse desequilíbrio que está acontecendo. Mas o fato é que vivemos um momento muito particular pós governo esquerdista que apodreceu a sociedade brasileira, e a resposta está sendo um contraponto muito incisivo em relação a degradação dos valores.... Eu também sou atacado qdo pretendo apresentar um posicionamento mais equilibrado. No entanto, aprendi a considerar toda conjuntura histórica dos últimos 15 anos, e concluo que enquanto não se equilibrar novamente aquilo que foi desequilibrado as reações serão, digamos, mais contundentes, e não intolerantes como querem afirmar. Intolerantes são aqueles que polarizaram a sociedade e quando recebem a reação nao desejada passam a criminalizar as opiniões contrárias. É um assunto muito delicado, ótimo para horas de conversa,as aqui está uma parte de meus pensamentos sobre o assunto... Abraço e sucesso quanto aos debates.

    ResponderExcluir
  2. Antes da reforma política, tributária, previdenciária, trabalhista ou eleitoral, precisamos de uma reforma moral. Parece que a agressão por palavras está liberada, parece que "ter opinião" é ofender quem não tem a mesma opinião. Nossa sociedade tem graus elevados de agressividade e hipocrisia. Todos são corruptos,desonestos, racistas e preconceituosos, menos eu que sou um juíz togado formado pela Universidade do Facebook. Cada dia que passa sinto que está mais difícil de debater qualquer que seja o tema, assuntos que antes eram só para puxar assunto, como um simples:Será que vai chover? Viram uma imensa discussão sobre quem tem a razão. As redes sociais são um grande fórum de discussão, mas precisaríamos antes, saber discutir e debater. Sou a favor de que as redes sociais fossem pagas, com assinaturas que permitissem um número x de postagens por dia, assim as pessoas iriam pensar antes de postar algo, e não só simplesmente, passar o dia proferindo ofensas e palavrões para tudo e para todos de forma gratuita.

    ResponderExcluir
  3. Amo as coisas que você escreve!
    Excelente,continue.
    É preciso entender que direitos humanos são para todos. Tratar quem pratica crime como marginal o impossibilita a ressocialização. Comungo da mesma ideia. Aos que não, o que se espera é pelo menos respeito.
    Ótima noite!

    ResponderExcluir

Agradecemos pelo seu comentário!